Danos Pessoais

Representamos queixosos (pessoas pedindo indemnização por danos pessoais que tenham sofrido) e réus (pessoas que alegadamente tenham causado tais danos ou, frequentemente, as suas seguradoras.

Intentar um processo

Os fundamentos para fazer um pedido de indemnização são variados. Por exemplo, pode ter sofrido danos pessoais como resultado de negligência médica, um acidente de automóvel, um acidente de trabalho, ou a natureza do seu trabalho pode ter resultado em ter contraido uma doença.

Se pretende fazer um pedido de indemnização tem de fazê-lo dentro de um período determinado de tempo. Deve reunir provas o mais depressa possível. Por estas razões deve consultar um advogado sem demora.

Fazer o pedido de indemnização por danos pessoais pode ser um processo stressante e compreendemos bem a importância de fornecer aos nossos clients conselhos claros e objectivos. Examinaremos as suas circunstâncias específicas para identificar os pontos fortes e fracos e aconselhá-lho sobre a melhor maneira de proceder.

O nosso objectivo é negociar um acordo sempre que possível, rápidamente e com o minimo de inconveniência, para evitar a pressão inerente a acções judiciais. Isto nem sempre é possível e, quando não conseguimos negociar um acordo razoável, recorremos ao processo judicial, que conduzimos no tribunal com vigor.

Quando pode pedir indemnização

Em resumo, para que o seu pedido de indemnização tenha sucesso tem que provar que sofreu danos pessoais resultantes da culpa de outra pessoa.

Provas médicas são normalmente necessárias para estabelecer a causa dos danos e mostrar a ligação entre os danos e as acções (ou, mais raramente, omissões) do réu .

O primeiro passo

Na primeira reunião, preenchemos um formulário de danos pessoais e pedimos-lhe todas as informações essenciais. Na alternativa, pode enviar essa informação através da internet carregando aqui e isso poupará tempo na primeira reunião.

Se, após a primeira reunião, considerarmos haver bases para prosseguir com o seu caso, dar-lhe-emos uma carta explicando os documentos de que precisamos para avançar com o pedido de indemnização.

Provas médicas

Analisamos todas as provas médicas (normalmente notas do médico de família e do hospital) e aconselhamos sobre que informação adicional deve ser obtida. Nalguns casos será necessário obter um relatório de um perito médico, especialista na área relevante.

Avançando o processo

Após formar um parecer positivo sobre o mérito do pedido, escrevemos à pessoa relevante convidando-a a aceitar responsabilidade pelos danos. Se houver aceitação de responsabilidade nessa altura podemos começar negociações sobre o valor do pedido em termos monetários, que será dependente de factores como a severidade dos ferimentos e o seu impacto sobre a sua capacidade para trabalhar.

Se não houver aceitação de responsabilidade, é nesta altura que instauramos um processo judicial em seu nome. O processo pode ser adiado em qualquer altura se a outra parte estiver disposta a negociar um acordo.

Âmbito do pedido

Pode obter indemnização pelo seguinte:

  • Danos físicos e psicológicos: dor, sofrimento e o impacto que o ferimento tenha na sua capacidade de viver uma vida normal. É necessário obter provas médicas para apoiar esta parte do pedido;
  • A sua capacidade de trabalhar no futuro. Pode ficar incapacitado para trabalhar or restringido no tipo de trabalho que pode fazer. Também aqui é necessário obter provas médicas;
  • Perca de rendimento da data do dano até à data do pedido; e
  • Outras despesas extraordinárias que tenha tido que fazer, por exemplo roupa estragada, despesas médicas, o custo de apoio de enfermagem, o custo de transportes etc.

Dois factores importantes devem se tomados em consideração ao fazer um pedido de indemnização:

  • Se for parcialmente responsável pelo que lhe aconteceu pode haver uma redução do montante da indemnização para reflectir esse facto; e
  • O queixoso tem o dever de mitigar o dano, ou seja reduzir o dano ao mínimo.

Se sofreu danos pessoais e considera que tem direito a indemnização, por favor contacte-nos. Não lhe cobraremos pelo tempo necessário para avaliar o caso se concluirmos que não há mérito avançar com o pedido.

Contactos

Rui Tremoceiro – Advogado (rui@tremoceiro.com)

Janet Sloan (janet@tremoceiro.com)